"You will find poetry nowhere, unless you bring some with you."


Joseph Joubert




segunda-feira, 9 de novembro de 2015

pazciência

"There's a way to catch your dreams without falling asleep.
You might as well get it while you can, babe
'cause you know you ain't getting any
younger."





Há tanto acontecendo
Ardendo, cabendo, gemendo,
trazendo e florescendo

É o tempo que eu não tenho
Porque não me retenho,
Mas curto um certo empenho

Contra a monotonia
Que me iludia
Até a Epifania


video


Muita saudade de escrever aqui, mas não da ociosidade pra escrever aqui.
Talvez eu poderia falar que "tô coletando material pro blog", mas daria no mesmo falar que tô vivendo, mesmo. Os versos estão tão curtos quanto o tempo.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Porto Real


Através das finas fibras que sentem esse calafrio, "através das marés dos oceanos, nós brilhamos" nos trovões do Sol.
Esse é o vento que me traz os florões da infância; a expectativa do desejo; as panacéias (soluções definitivas das minhas noites sem fim); a docilidade do toque com júbilo, porque essa é a brisa suave que traz a poeira do universo e que pousa, sensibilíssima, em cada póro do meu corpo virgem.
E, nos extremos de cada sentimento, desperdiçam-se as horas no azul do desespero da cegueira. Mas é na sincronia desses elementos que o teu carinho invisível, que me transpassa os ossos, mesmo tão sensível, me une ao infinito. 


video


- 27/08/2013
- 20:42hs

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

reversal's potion




Milk. 
Milk is the translation of perfection. 
Milk is so good
you don't 'drink' milk, 
you 'HAVE' milk.

video

domingo, 2 de junho de 2013

Violoncelo



É como se o universo fosse linhas retas paralelas e em cada uma delas existisse uma realidade completamente diferente da outra, onde cada uma das decisões que você toma leva à criação ou destruição de outra condição de vida.
Mas um dia, as realidades se misturam - essas linhas são, agora, as cordas de um violoncelo – e parece que um “outro você” fala e toma decisões que o seu ego jamais lho permitiria... mas ainda é você ali. E tudo se dissolve porque não se está habituado com a outra realidade na qual o jogaram. Os costumes, os afetos, os desejos, pessoas e paisagens não são familiares.
Arremessado em uma Terra De Ninguém, onde até o ar possui um aroma diferenciado. As substâncias que o compõem também são outras.
Não há volta, a não ser negando a vida... Mas não há vida sem a sinfonia interminável das comoções.
Em qual liteira descansa o guerreiro... ou em qual vala depositaram-no? Como recuperar o fôlego magistral e reerguer a marcha firme através das montanhas que exalam a fumaça pálida ressonante de uma divindade adormecida? Tua efígie microcósmica fragmentou-se ou fossilizou? Costura teu lábaro, as horas são difíceis de se ignorar, assim como as novas criaturas.
A dor mais lancinante que nove punhais enterrados nas têmporas é a pergunta “Onde eu estou?”

video